Rápidas verificações nas páginas de e-commerce previnem o consumidor para não cair em emboscadas nesta sexta-feira

A Black Friday é um grande momento esperado pelos consumidores brasileiros durante 12 meses. O que começou com a venda de artigos de tecnologia pela internet, hoje, atinge diversos setores através de todos os meios. Ainda assim, a plataforma de maior comercialização de promoções e vendas nesta sexta-feira é a digital.

Segunda a Ebit, a estimativa para 2016 é a movimentação de mais de 2 bilhões de reais no e-commerce do país. Isso significa milhões de cidadãos pesquisando produtos, comparando preços e efetuando compras online em 24 horas. Na pressa, alguns consumidores podem ficar confusos e se esquecerem de analisar quesitos de segurança do website. Aí, o barato pode sair muito caro.

Por isso, é importante avaliar a página digital antes de comprar. Design criativo e estrutura funcional são características positivas, uma vez que grandes empresas investem no site profissional. As lojas virtuais também devem apresentar um endereço físico e plataformas para contato.

“Verificar a forma de pagamento é fundamental para não cair em emboscadas. O boleto é o método mais seguro, enquanto que o depósito bancário é o mais incomum e vulnerável na identificação de compra” confere Flávio Mello, CEO da Blank Agência Criativa.
As medidas auxiliam na identificação de um site seguro e confiável em um curto período de tempo. Além de analisar estas informações, existem websites que permitem que o consumidor denuncie, reclame ou elogie empresas e-commerce. Se possível, vale a pena consultar a reputação das empresas online antes da tão esperada Black Friday.

Por Amanda Tambara